terça-feira, 3 de março de 2009

Sevilla: tenemos un coche!

Apesar de estar meio sem tempo para postar por aqui, e com vários assuntos atrasados, não posso deixar de falar sobre a viagem que fizemos neste final de semana que passou.

O destino? Sevilha, Espanha.

As companhias? Pedro (@Recife), Theo (@Vitória), Tiago (@Goiânia), Vanisa (@Santa Maria, e viva o Rio Grande do Sul, tchê!) e nosso estimado “coche”, um Mitsubishi Colt.


Na sexta-feira à noite pegamos nosso “coche” e nos dirigimos para a maravilhosa cidade de Sevilha, na Espanha, cenário da nossa incrível aventura. Chegando em Sevilha, depois de nos perdemos um pouquinho, encontramos nosso Hostel, onde ficaríamos até domingo.

Depois de alguma “enrolación” devido à falta de domínio da língua espanhola por parte de todos ocupantes do “coche”, conseguimos fazer o check-in e largamos nossas mochilas no quarto. Saímos a caminhar pelas ruas em volta do Hostel e encontramos alguns bares, todos muuito cheios, muito pequenos, sem nenhum espaço para sentar, dançar, conversar ou qualquer coisa que fosse agradável. Depois de muitas dúvidas sobre o que fazer, encontramos o bar que vendia uns lindos “mojitos” e decidimos que este seria o programa da noite. Após muito trabalho para conseguir comprar as bebidas, ficamos sabendo que não podíamos sair para a rua com os copos, ou seja…estávamos presos dentro daquele bar minúsculo, apertado, sem poder sair! Espertinhos que somos, conseguimos escapar e começamos a voltar para o Hostel, pois queríamos descansar para o dia que estava por vir e nos aguardava com muitos passeios. Antes de voltar para o Hostel, resolvemos fazer uma volta à infância e brincar na pracinha onde estacionamos o “coche”.

Sábado tomamos nosso “desayuno” e começamos o passeio. Primeira parada obrigatória: Starbucks! Sim, porque café nunca é demais.

Seguimos nosso roteiro e fomos até a Plaza Nueva.

Depois, seguimos em direção à Catedral de Sevilha, passamos pelo Real Alcázar (palácio onde reside o Rei da Espanha quando vai a Sevilha) e fomos até a Plaza de España, um dos pontos altos da visita, pois é realmente muito linda. Antes, fizemos uma parada estratégica em uma loja da Haagen Dazs.Depois de muitas fotografias, resolvemos investir no nosso futuro e compramos umas “castañuelas” para podermos fazer a primeira apresentação da nossa banda. Saindo da Plaza de España, alguém teve a brilhante ideia de irmos caminhando pelo parque, que era realmente muito bonito, o Parque de Maria Luisa. Ao pararmos para tirar algumas fotos, sinto uma coisa bater na minha cabeça, e logo pensei (“quem foi o idiota que bateu na minha cabeça enquanto eu tirava foto?”). Neste momento, Tiago fala o seguinte: “gente, vamos sair daqui porque acabou de cair um cocô de pomba”). “Putz”, pensei. Falei: “Quem foi que bateu na minha cabeça enquanto eu tirava foto? Foi tu, Pedro? Foi tu, Tiago?” e eles: “não, como assim?”. Então, abaixo minha cabeça e peço para confirmarem o que eu temia. Sim, eu havia sido premiada por uma pomba e a rajada de sua bazuca anal. Nem preciso dizer que neste momento tooodos começaram a rir e a fazer um vídeo (óbvio, porque se não houvesse registro perderia toda a graça).

Depois de uma rápida “limpada” na área e muitas risadas, seguimos nosso passeio. Fizemos um pic-nic (não faço ideia de como se escreve em português) no mesmo parque, caminhamos um pouco até um museu (que estava fechado), passamos pela Torre del Oro, pela Plaza de Los Toros (sou muito contra touradas, jamais assistiria a uma, que fique registrado) e fizemos uma breve parada para o almoço.

À tarde seguimos caminhando e resolvemos sentar nas escadarias de um monumento à frente do Real Alcázar para fazer a digestão e apreciar o movimento. Eis que, tivemos a brilhante ideia de brincarmos com nossas “castañuelas”. Começamos a aprender e, quando percebemos já havia várias pessoas nos olhando. Temos até um vídeo para provar o sucesso que foi o nosso primeiro concerto. Depois do assédio dos fãs, resolvemos seguir a caminhada, entramos em uma parte da Catedral de Sevilha, fizemos algumas comprinhas e voltamos para o nosso Hostel. Até então, o tempo estava ótimo, não tinha muito sol mas estava bem agradável. Eis que então começa a chuva. Depois de algumas horas entre nos arrumarmos, descansarmos um pouco e nos prepararmos para a noite, saímos em direção a uma “discoteca” onde, segundo a moça do Hostel, tocava música dos anos 80 e era muito legal. Por ser longe, resolvemos que iríamos de “coche” até lá.

- Muita atenção nesta parte pois agora vou explicar o título do post –

Chegamos no “Café Canalla” (acho que era esse o nome) e ficamos um tempo por lá, ouvimos umas DUAS músicas que realmente eram dos anos 80, daí começaram a tocar umas músicas mega desconhecidas, depois tocaram Strokes (ANOS 80 ONDE?) e voltaram a tocar músicas não-boas. Resolvemos sair e ir para outro lugar que haviam nos indicado, o “Big Ben”. Como o “Big Ben” ficava longe e estava chovendo, Tiago foi buscar o carro enquanto eu, Pedro, Theo e Vanisa esperávamos na porta da “discoteca”, abrigados da chuva. Neste momento, surge um dos seguranças da casa e começa a falar coisas para o Pedro, que ele não entendeu, mas imaginou que fosse algo do tipo “precisam de um táxi?”, e então ele responde: “tenemos un coche”. O cara, sem entender nada, repete tudo, em espanhol, e dessa vez eu consegui ouvir e entender, e falei “criaturas, o cara tá mandando a gente esperar ali do lado porque estamos bloqueando a entrada”. Bom, nem preciso falar que durante os minutos seguintes, ficamos tendo ataques de risos, lembrando da célebre frase “tenemos un coche”. O cara certamente pensou “e eu com isso, vaza daqui!”, hahahaha. Depois fomos até o Big Ben, ficamos um tempo e voltamos.

Domingo tomamos o “desayuno” e fomos em direção ao Real Alcázar, onde pretendíamos entrar. O lugar é realmente LINDO. Não chegamos a entrar no “quarto real” pois tínhamos que pagar à parte, então resolvemos explorar o resto. Ficamos horas passeando, tirando fotos, perdidos no labirinto de plantas do jardim…realmente muito giro!

Depois de algumas horas lá dentro, saímos, fomos almoçar, tomar mais um Starbucks e dar a última passeada antes de retornarmos a Portugal. Na volta paramos em Huelva, uma pequena cidade na Espanha, onde aproveitamos para tirar mais algumas fotos (inclusive a foto do “coche”) e rir um pouco mais em uma praça LOTADA de pombas.


Descoberta da viagem: eu já havia reparado que eu costumo sair em TODAS as fotos com a perna torta (geralmente a esquerda). Porém, foi nessa viagem que eu descobri que realmente é uma coisa MUITO automática, em qualquer lugar que eu pare para tirar foto, eu entorto a perna e…pasmem…eu entorto a perna até quando vou tirar fotos de outras pessoas! Façam uma retrospectiva das fotos no meu blog, orkut e vão constatar. Tiramos muitas fotos fazendo “perninha”, em breve vou postar por aqui.


Observações:

- Acompanhem o blog do Theo e do Tiago se quiserem ver mais fatos e fotos da nossa super viagem.

- Ainda faltam muuuitas fotos, por enquanto vou postar apenas as da minha câmera.

- Além das fotos, vamos colocar no Youtube vídeos excelentes, como o da cagada da pomba, da aula de “castañuelas” e do nosso primeiro concerto. Aguardem!

- Não estou muito por dentro da reforma ortográfica do português brasileiro, e é bom eu nem aprender agora porque já faço confusão o suficiente com o português do Brasil e de Portugal, por isso, perdoem meus “erros”.

- Quando eu tiver tempo de fazer o próximo post (sobre o meu ódio pelo Carnaval e o episódio ocorrido neste ano) o “caso da pomba” vai parecer mais absurdo ainda.

7 comentários:

mãe disse...

Olé!
Adoramos te ver na Espanha e saber da banda de castanholas.
As fotos estão lindas!
Pena mesmo que não tiveram tempo p/comer os churros.
Beijos, c/muita saudade.

Carol disse...

1 - Piquenique
2 - Estoy enojada con estas palomas de Sevilla!!!! (paloma = pomba... tua irmã sabe mto de espanhol! além de aviões, cachorros, raios e futebol!)
3 - Ainda bem que touros não tem asas!

Hahahahaha

Adorei as fotos, perninha!
Hahahahahha!

Bjsssss

Carol disse...

Ah não ser, eh claro, que eles tomem Red Bull!

Pai disse...

Luluca
Muito legal a narrativa.Quanto à pomba,lembras do que me aconteceu no cemitério da Recoleta?
Dizem que bosta é sorte.
Beijos

Cabral disse...

minha barriga ta doendo de tanto rir...

Theo Conti disse...

Perninha ou Marquesa de Pombal! A patente é minha! Foi eu quem te nomeou! hahaha

Como assim não sabes escrever piquenique? Bah! Es parva, pah!

Wow, adorei a idéia de Red Bull e um touro, Marquesa no alvo na certa!

=D

laura disse...

sabe.. acho que tenho que parar de ler teu blog no trabalho... fiquei rindo sozinha hj imaginando tu irritadissima com a maldita pomba...
bjos
saudades saudades